Guia basico para um surto de anciedade

fevereiro 17, 2011

Agora que não sei quem eu sou vejo todos pela cortina de vidro.
Me arranho, caio, perco todas as forcas.
Ate mesmo minhas tão queridas memórias estão distantes.
Já não escrevo para ninguém
E a dor do vazio me corrói.
Poesia feita no meu caos particular,
Resulta na angustia,
Eterna dor de cabeça que não me deixa dormir.
O amor que se perde em mim
Não sei mais ser quem sou
Fui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: