Todos os demônios da estrela sírius

julho 23, 2011

Brilho radiante,
As luzes da cidade são a dor do poeta.
A estrela muda de cor, o vermelho se vai, incertezas na pele.
Até mesmo o anjo caído, portador da beleza eterna, teve seus medos colocados a prova,
Se escondeu em palavras.
Tua mente, eterno diagrama.
Quando lágrimas são fumaça de cigarros,
A gente tenta alcança-las mas tamanha delicadeza atravessa os dedos,
Bailarinas da noite em jaulas de vidro.
Posso senti-las e no entanto, nunca estão perto o suficiente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: